top of page

Quilling

Publik·8 anggota
Ethan Gonzalez
Ethan Gonzalez

Livro Compreender E Ensinar Terezinha Rios Pdf 13l LINK



4 vt 4 ULTIMA HORA Rio de Janeiro, quarta-feira, 31 de outubro de 1984 PALA0P0V0 Um tigre de papel habita o Iperj Quando se chega a uma idade avançada, aprendemos a arrumar as gavetas, livrando-nos naturalmente dos problemas burocráticos. Não há tempo a burocracia. E é por essa razão que ficamos estarrecidos quando nos defrontamos com o terrível tigre de papel, representado pela burocracia. Existe um Ministério todo voltado resolver a questão da papelada que atravanca a vida oficial do País, mas quando menos esperamos lá está o tigre de papel à nossa espera, num recanto escondido de alguma repartição. Eis um exemplo vivo e muito perto de nós todos, servidores do Estado do Rio de Janeiro: o Iperj, o qual descontamos, contribuindo alguns milhares de pessoas terem empregos (e dos bons!). Pois bem, o Iperj inventou o inacreditável. Ao morrer um meu amigo, orientei seu filho que cuid as s e da papelada, recomendando-lhe inclusive que providenciasse mais de 10 certidões de óbito e de casamento, todas devidamente autenticadas e com firma reconhecida. Entretanto, o Iperj exigiu, além da certidão de casamento original, uma nova certidão, "com data recente". E lá foi o rapaz até Parati, arranjar a tal certidão. Será que não bastam as ridículas pensões que o Iperj paga aos servidores, e ainda é necessário tripudiar sobre o contribuinte? Será que o governador Leonel Brizola sabe dos absurdos exigidos daqueles que, lamentavelmente, têm de recorrer ao Iperj? Descontam ferozmente de nossos salários e ainda inventam sobre nossos problemas? Até aqui, pensei que dispunha de mais de 10 certidões de casamento, disponíveis qualquer eventualidade. No entanto, verifico que não tenho certidão alguma pelos padrões do Iperj. Talvez seja essa a razão que faz o Iperj pagar as ridículas pensões que vem pagando aos servidores inativos e suas famílias. Estão de tal forma embrulhados no tal tigre de papel que não sobra tempo cuidar dos interesses dos servidores fluminenses. Quero esclarecer que enviei cópia desta carta ao governador do Estado. Acredito sinceramente que isso que ocorre no Iperj acontece à sua revelia. Eugênio Cardia Santos, RJ. Isto é Integração? A falta de respeito das empresas de transporte coletivo em relação ao povo que as enriquece é total. E dessa regra não se exclui a CTC, cuja criacão, se supunha, visava a resolver os problemas de transporte, sem ter o lucro como meta prioritária. Querem um exempio? Vejam as chamadas linhas de integração com o Metrô.. Criaram-se várias. Mas só aquelas que rendem bons lucros têm número certo de carros. As outras, que se danem. É o que acontece com a linha Lins- -Sãen Pena. Iniciada com enorme alarido publicitário, tinha, na época da criação, uma eficiência elogiável, com carros correndo a espaços regulares.' Hoje, espera-se por um ônibus dessa linha, pela manhã, mais de 40 minutos. O desrespeito é total. Sônia Carvalho -RJ Agradecimento à UH Queremos agradecer sensibilizados, em meu nome e de toda comunidade, a divulgação durante os festejos de nossa Padroeira, sem a qual não teriamos alcançado tanto êxito, sendo que mais de 50 mil fiéis particim dos atos religiosos. Pe. Valdir Antônio Stolf, pároco da Igreja de Santa Edwiges, RJ Al de ti Copacabana! Ai de ti, Copacabana! Quem foi que disse isso? Ah, foi o Rubem Braga, numa crônica, que é, aliás, o título de um de seus livros. E tem razão o cronista. Já vai longe o tempo em que o bairro - na essência talvez o mais bonito do Rio de Janeiro - podia ser chamado de Princesinha do Mar, admirado, exaltado, cantado em prosa e verso. De uns anos cá, dá pena ver tanta beleza maltratada. É igualzinho a uma mulher muito bonita, mas que não se cuida, náo se pinta, nem mesmo toma banho. Não bastasse a criminosa especulação imobiliaria, que tansformou o bairro inteiro num repelente favelão, parece que a limpeza pública foi r noutra freguesia. E a coisa piorou, doxalmente, depois que instituíram taxa (ou tarifa, sei lá!) do lixo. É... além de favelão. vazadouro de lixo. Ai de nós, moradores de Copa! Adail das Fores, RJ Maluf ismo anuncia ter 6 votos tirados da Aliança Escalar seis deputados do PMDB do (PTB) admitiu que o deputado ça Democrática. e da Frente Liberal do PDS federal Francisco Studart. do mesmo partido, desmalufou. Fonseca (PDT), malufista, decla- Já o deputado estadual Alcides que anunciem seu apoio a Paulo Maluf é um dos planos do comando da candidatura pedessista com o esvaziamento da candidatu- -O Stuart está preocupadíssimo rou que vai pedir hoje ao enfrentar o clima de favoritismo ra do deputado Paulo Maluf - procurador-geral a abertura de comentou Luiz Edmundo. federal Mário Juruna (PDT-RJ) e o uma ação penal contra o deputado que envolve a candidatura de Tancredo Neves. A informação é o Ele informou que a suplente de coordenador da campanha de Maluf, empresário Calim Eid. suplente de senador Alberto Lavinas (PDS-RJ). (PTB-R.J). ligada à família de Tan- "Não deputado Maria Aguinaga Pessoa pode Calim Eid comprar No Rio, ontem,dois anúncios credo Neves, se prontificou a marcar uma audiência de Francisco seu voto no Colégio Eleitoral", diz deputado e nem deputado vender o tumultuaram o campo malufista. O deputado estadual Luiz Edmtin- Studart com o candidato da Alian- Alcides em sua representação. Secretários do PMDB abrem crise na coalizão estadual Depois de uma trégua de 60 dias. jados no segundo escalão de suas ção dos quatro secretários precipitada. Defende que a bancada en- as divergências no interior da coalizão PMDB/Governo estadual imobilista, criando inúmeros protregue ao governador Leonel Bri- Pastas de manterem uma posição voltaram a agravar-se esta semana. Os quatro secretários peemedegindo das posições adotadas pelo a concretização da coalizão. blemas e, em conseqüência, diverzola um documento com sugestões bistas -deputados Alberto Dauaire, Viação: Geraldo di Biasi. Indtiscados pelo PDT. Citam como pensável o questionamento das po- titular da Secretaria, diretores indi- Ele considera, no entanto, indistria e Comércio: Aluisio Gama. exemplo a.s dificuldades existentes sições adotadas pelo diretor do Desenvolvimento a Região entre o secretário Alberto Dauaire DER. Metropolitana e Camilo Jorge, e o diretor do DER. Ubirajara Muniz. Segundo um deputado esta- foi chamado ao Palácio Guanabara Há dias, o sr. Ubirajara Muniz Agricultura e Abastecimento -. vão entregar hoje ao líder da bandual que não quis se identificar, explicar o excesso de uso do cada, deputado Cláudio Moacyr, uma carta renunciando a seus cargos na administração estadual. Além de Cláudio, participarão da reunião-almoço, num restaurante do Centro da cidade, o presidente do PMDB fluminense, Jorge Gama, e o.s deputados Gilberto Rodrigues e Paulo Duque. Os secretários cie Estado do PMDB criticam o.s pedetistas alo- Presidente da Assembléia só com acordo O líder da bancada do PDT na Assembléia Legislativa, José Gomes Talarico, disse que a escolha do futuro presidente da Assembléia "não está em função de anseios ou desejos pessoais, mas terá que respeitar o acordo com os demais partidos, em bases proporcionais, que garantiu a eleição da Mesa atual". Talarico condenou o lançamento da candidatura do deputado Augusto Ariston, afirmando que ninguém é candidato de si mesmo, e garantiu que quem fugir ao entendimento com as demais bancadas pagará caro por isso. Talarico. Ariston e o deputado Roberto Pires, que também se afirma candidato, são os três postulantes até agora, dentro da bancada do PDT, à sucessão do deputado Paulo Ribeiro, em fevereiro de 85. Ao declarar-se candidato, Augusto Ariston disse que é apoiado por um forte grupo dentro da bancada. Ele considera que chegou a hora de "o partido tomar uma posição firme e coesa" em relação à sucessão do deputado Paulo Ribeiro. Alair discute percentual do óleo de Campos O deputado Alair Ferreira, presidente do PDS fluminense, foi eredenciado pelo ministro Leitão de Abreu, do Gabinete Civil, a manter entendimentos com o presidente da Pe "obras. Teimo Dutra, esclarecer dúvidas quanto ao percentual que a Petrobrás pagará ao Fundo de Desenvolvimento Fluminense, pela extração de petróleo na plataforma continental de Campos. Alair quer 5% mas o ministro das Minas e Energia, César Cais, estabeleceu apenas í'"'. na proposta enviada à Presidência da República. Durante o encontro de 20 minutos que teve com o ministro Leitão de Abreu, Alair Ferreira aproveitou fazer relatório das clificuldades vividas pela população do Estado do Rio, especialmente a do norte do Estado, onde o desemprego nas áreas urbanas e no interior é crescente. Machado morreu há 20 anos, aos 69 anos. E o seu livro de ANÍBAL estréia, Vila Feliz, está fazendo 40 anos. João Ternura está de novo nas livrarias, em sua sexta edição, e que edição. Daniel Pereira pôs aqui toda a sua arte e experiência invulgar, de meio século. E aqui entre nós o digo - Daniel está acabando de completar os seus primeiros 70 anos de vida. Daqui, um abraço ao grande mago do livro bem-feito, que renovou a arte gráfica brasileira, junto com o pernambucano Luís Jardim. Aníbal Machado estaria completando 90 anos. Todos se AGORA, lembram de sua casa aberta, acolhedora, ali na Rua Visconde de Pirajá, 487, em Ipanema. Não a Ipanema de hoje, buliçosa e barulhenta, mas uma outra Ipanema, tranqüila. A casa de Anibai foi o último salão literário do Rio. Rigorosamente, o último. Ali, na quietude do bairro residencial silencioso, reuniamse escritores, artistas em geral, gente da inteligência, aos domingos. E era uma conversa informal, sem cerimônia, velhos e novos, um Murilo Mendes, um Samuel Rawet, um Fausto Cunha ou um Renard Perez. O fraternal anfitrião a todos acolhia. Eram as domingueiras de Aníbal, cuja obra póstuma João Ternura Ubirajara Muniz vem criando obstáculos às indicações feitas pelo secretário de Viação. VOANDO MUITO Os secretários peemedebistas acusam ainda Ubirajara Muniz de estar usando a máquina administrativa do DER em favor de sua candidatura a deputado federal. Cláudio Moacyr considerou a posi- helicóptero do DER, conforme comprovante apresentado pelo secretário César Maia, da Fazenda, mostrando, entre outras coisas, parecer do Tribunal de Contas que aponta o Departamento de Estradas e Rodagem como o órgão mais deficitário do Governo. Brizola, então, aconselhou Ubirajara Muniz a reduzir as horas de vôo do helicóptero daquele órgão. Figueiredo exige de novo a fidelidade partidária BOA VISTA - Os políticos do PDS que não apoiam a candidatura Maluf foram novamente criticados ontem pelo Presidente João Figueiredo em discurso que pronunciou durante a solenidade de inauguração da Base Aérea de Roraima. As críticas foram especialmente dirigidas aos deputados do PDS Mozarildo Cavalcanti e Alcides Lima, que até agora, apesar da pressâo da cúpula pedessista. náo declararam apoio à candidatura Ma* luf. - Eu não nasci - disse Figueiredo, de improviso - mudar de lado. Não é de minha vocação pertencer a um lado e a outro. Sempre pertenci a um lado só. Se esse lado vencer, muito bem. Se esse lado perder, eu ganhei, porque não cedi e minha consciência continua vitoriosa. E eu poderei morrer tranqüilo porque defendi o que acho que está certo. Figueiredo chegou a Boa Vista cerca das 10h30m, quando caía chuva forte. Quando a chuva parou, ele passou em revista a tropa da Aeronáutica formada em sua honra. Em seguida, acompanhado do miiiistro Délio Jardim de Mattos, do governador de Roraima, Aridio Martins de Magalhães, e do comandante da base aérea, coronel Edson Linhares, descerrou uma placa comemorativa. Na sala de embarque do aeroporto, o presidente encontrou-se com os políticos locais e com os empresários, de quem recebeu um memorial com diversas reivindicações. PROGRAMA NO RIO O Presidente Figueiredo chega ao Rio hoje ã tarde, hospedando-se no Hotel Caesar Park. Amanhã, pela manhã, o Presidente ruma o Aeroporto de Jacarepaguá, onde pega o helicóptero que o levará à nova sede da Casa da Moeda, em Santa Cruz, onde estarão à sua espera o governador Leonel Brizola e autoridades da área econômica. Além da inauguração das novas instalações da Casa da Moeda, a visita marcará a entrada em circulação das novas cédulas de Cr$ e CrS Depois de visitar as novas instalações, o Presidente irá, de helicóptero, seu sítio, em Nogueira, onde passará o fim de semana. Diretoria da UNE assume e vala Taneredo O novo presidente da União Nacional dos Estudantes, Renildo Calheiros, não se preocupa com a relativa desmobiliza ção do movimento estudantil. Eleito na última segunda-feira, em eleição indireta, Renildo Calheiros acha que "o movimento popular e democrático é fraco no Brasil, e os estudantes até constituem um dos segmentos mais organizados". A nova diretoria da UNE assegura que até o final de 1985 a entidade vai lutar pelo ensino público e gratuito, pelo fortalecimento das entidades estudantis e pela sua legalização. Hoje eles levarão essas reivindicações ao candidato da Aliança Democrática, Taneredo Neves, em Brasília. Renildo Calheiros deu ontem sua primeira entrevista como presidente da UNE, tendo sob seus olhos, na parede da sede da entidade, no Rio, uma enorme faixa: "Diretas, já/mudanças, já". E essa aparente contradição com a eleição indireta realizada na entidade não perturba seus dirigentes, que representam a continuidade da diretoria anterior. Cinco dos 19 novos diretores particim do mandato anterior, inclusive Renildo Calheiros, que era o secretáriogeral. Eles acham que a realidade não autoriza comções entre o Colégio Eleitoral e o sistema de delegados adotado na entidade eleger a Diretoria. Segundo Renildo Calheiros. contrariamente ao Colégio, os delegados têm representação legítima, e entre eles não há "nem biônicos, nem corruptos". E Renildo acrescenta, com respeito à identificação política da UNE (ele é da Viração, chapa de composição das esquerdas, com predomináncia do PC do B), que a entidade é apartidária e não se pode impedir a militáncia política de seus membros. Uma das principais preocupações da UNE é a sua legalização, e Renildo informa que o advogado Sérgio Bermudez está tratando da questão. Prefeito de Itaguaí acusa empresário O prefeito de Itaguaí, Otoni Rocha, em depoimento ontem na CPI da Assembléia Legislativa - instalada apontar os responsáveis pelo que de ruim vem acontecendo às margens dos rios São Francisco, da Guarda e Guandu -, declarou que os areais do município são verdadeiras armadilhas de morte os moradores da região, "que não trazem nenhum resultado positivo os cofres da municipalidade". - Infelizmente, eu nada posso fazer, pois não conto com o indispensável apoio policial - acrescentou o prefeito; que acusou diretamente o empresário Alfredo Santos Alves, dono da maioria dos areais de Itaguaí, como o grande responsável pelas irregularidades que já provocaram muitas mortes. Dirigente do PCB volta a depor e critica Abi-Ackel Quinze dias após ter tido sua casa vasculhada por agentes do Departamento da Polícia Federal (DPF), Giocondo Dias. secretáriogeral do Partido Comunista Brasileiro - formalmente presidente da Comissão Diretora Nacional Provisória do PCB -, voltou à Superintendência Regional do DPF prestar depoimento sobre o movimento pela legalização do partido e o apoio ao candidato Taneredo Neves. Giocondo Dias culpou o ministro da Justiça. Ibrahim Abi-Ackel. pela atitude da Polícia Federal e frisou que o inquérito "faz parte de um conjunto bem mais amplo de provocações e ameaças golpistas". Além de Dias, o ex-presidente do Sindicato dos Bancários, Ivan Pinheiro. membro da Comissão Diretora do PCB, também foi interrogado no DPF. O secretário-geral do PCB disse que a Polícia Federal procurou incriminá-lo argumentando que ele tentou colocar em funcionamento organização política proscrita (baseada na circular n" 2 da Comissão Diretora que expõe posições sobre a luta pela legalização do partido). O depoimento de Giocondo Dias levou cinco horas. Ele fez até a identificação datiloscópica. Depois foi à Assembléia Legislativa onde, em entrevista coletiva, disse que estes interrogatórios visam "a con* turbar a sucessão presidencial e criar um clima insustentável á candidatura Taneredo Neves fren* te a setores que o apoiam". Giocondo Dias reafirmou o apoio dos comunistas a Taneredo Neves. Disse "ele que é um liberal Aníbal Machado Antônio Carlos Villaça levou a vida escrevendo. E João Ternura era ele mesmo. O mineiro de Sabará, no porão de cuja casa, em Belo Horizonte, os jovens de 1922 ouviam pela primeira vez o nome de Proust. Aníbal foi um divulgador da cultura moderna. Um animador. E escrevia devagarinho, como quem não quer nada, atento à lição dos surrealistas, pois amava a obra de André Breton. Traduziu os admiráveis Diálogos das Carmelitas, de Bernanos, com Roberto Alvim Corrêa, que Maria Clara os representasse no Teatro do Copacabana Palace. E nos deu estes três livros definitivos - as novelas, os Cadernos de João e João Ternura, o livro da sua vida. Esta sexta edição do João Ternura transcreve uma crônica modelar de Rachel de Queiroz. Ela nos fala no gosto de Aníbal pela vida. Deixou poucos livros, sim. Curtos lhe foram os dias ler, escrever, entender, interpretar, amar, adivinhar, diz Rachel, com verdade. conservador, mas não representa o continufsmo". O dirigente comunista acha que as "ameaças golpistas" cresceram e alertou a necessidade das oposicôes se unirem e realizarem uma mobilização popular garantir a eleição indireta através do Colégio Eleitoral. Depois de afirmar que os comunistas "não são tancredistas", Dias apontou como prioridade do próximo Governo a convocação da Assembléia Nacional Constituinte. Os depoimentos dos dirigentes comunistas estão sendo conduzidos pelo delegado Marco Antônio Veronezi, da Polícia Federal de São Paulo. Desde segunda-feira estão sendo ouvidas sete pessoas arroladas no inquérito, aberto há 15 dias. e que implica 11 militantes, todos acusados de pertencerem ao PCB. amava as aventuras do espírito. Era um inquieto. E de fato, ANÍBAL aqui em João Ternura encontraremos vivo, sempre vivo, o grande Aníbal Machado. Todos esperavam esse livro, que se tornou famoso antes de ser lido ou publicado. E Aníbal morreu, sem ver João Ternura impresso. Graças à solicitude vigilante de Maria Clara Machado, João Ternura pôde enfim aparecer. Volta agora às livrarias, com a bela Balada em prosa de Aníbal [Machado, por Carlos Drummond de Andrade, e um prefácio erudito do saudoso Otto Maria Carpeaux. foi, sim, um parente de Macunaíma e de Carlitos. Um ser ANÍBAL mágico. Tinha alguma coisa de anjo. E uma das suas maiores paixões era exatamente São Francisco de Assis. Sendo mineiro e até mineiríssimo, foi também de algum modo um carioca, pela sua cordialidade pelo senso da amizade, pelo seu jeito de ver a vida. E, sendo tão carioca, foi um perfeito brasileiro, uma síntese do que somos como povo, como cultura, como estilo de ser. Em sua casa da Rua Visconde de Pirajá, 487, reuniam-se pessoas de todas as tendências. Não havia nenhum sectarismo em mestre Aníbal Machado. A todos recebia e ouvia. Dava a todos os seres o calor da sua compreensão, cheia de fraternidade. Acreditou no homem. Acreditou na vida. Tinha uma curiosidade imensa pela vida em todas as suas manifestações. E era de uma boa-fé total. "Eis aqui um livro de boa-fé, leitor", poderíamos dizer com Montaigne, diante deste livro único, que é o grande, o inesquecível, o incomparável João Ternura, intensamente brasileiro. CIBOLARES Do caderno de notas O sr. Taneredo Neves recebeu ontem, às 16h30m, em seu escritório de Brasília, uma comissão de vereadores dos municípios de Caxias, Angra dos Reis e Volta Redonda. Pedindo a autonomia. O candidato informou a existência de um projeto de lei (n ), de autoria do sr. Márcio Macedo, que já está na ordem do dia da Camara dos Deputados, e deverá ser aprovado nos próximos dias. Comprometeu-se a sancionar a lei. Segunda-feira, o sr. Tancredo Neves estará no Rio. No Teatro Casa Grande. Por falar no sr. Márcio Macedo, a Câmara Municipal de São Goncalo concedeu a ele, e


Tentang

Hi fan quilling, yuk share hasil kreatifitas kalian di group...

Anggota

bottom of page